ENTRANDO EM CONTATO

1 Entrar ou criar uma nova conta.
2 Ligar no (61) 3404-3526 ou 99361-9414.
3COMENTÁRIO na pagina fale-conosco!

Se você ainda tiver problemas, entre em contato conosco, enviando um e-mail para contato@advocaciamilitar.com Obrigado!

FUNCIONAMENTO

Seg-Sex 9:00AM - 6:00PM
Sab - 9:00AM-11:00AM
Domingos somente com hora marcada!

Militar temporária deve ser reintegrada pelo Exército até conclusão de tratamento de saúde

Militar temporária deve ser reintegrada pelo Exército até conclusão de tratamento de saúde

A 2.ª Turma do TRF da 1.ª Região manteve sentença de primeira instância que determinou a reintegração de uma militar temporária, parte autora da ação, ao Exército, desde a data do licenciamento, na condição de adida, para fins de tratamento médico. A decisão, unânime, seguiu o voto do relator, juiz federal convocado Cleberson José Rocha.

Consta dos autos que a autora, em 30/7/1998, ingressou para o serviço ativo do Exército, na condição de oficial militar temporário. A partir de setembro de 2001, passou a apresentar problemas de saúde, no caso, depressão, tendo sido considerada incapaz temporariamente para o serviço militar. Dois anos após ter iniciado o tratamento, foi novamente considerada apta para o serviço do Exército. Entretanto, em vez de ter sido reincorporada, foi licenciada por término do tempo máximo permitido no serviço ativo.

Por essa razão, a requerente entrou com ação na Justiça Federal contra a União, objetivando a sua reintegração às fileiras do Exército, desde a data do licenciamento, na condição de adida ou a reforma militar, no caso de ser reconhecida como incapaz. O Juízo Federal da 1.ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal julgou procedente o pedido, determinando ao Exército que reincorpore a autora, na condição de adida, para fins de tratamento médico.

Inconformada, a União recorreu ao TRF1 ao argumento de que a autora, na condição de ex-militar, não teria direito à reintegração ao Exército, muito menos para fins de vencimentos e tratamento médico. Além disso, o ente público defendeu a legalidade do ato que determinou o licenciamento.

Ao analisar o recurso, o Colegiado da 2.ª Turma destacou que há, nos autos, perícia oficial atestando que a doença que acomete a autora (depressão), “tem relação de causa e efeito com o serviço militar”. Por essa razão, “comprovada a incapacidade laborativa, acometida durante o exercício das atividades castrenses, faz-se necessário resguardar o seu direito a obter tratamento especializado, inclusive com a percepção de seu soldo, na condição de adida à sua unidade, enquanto perdurar a condição incapacitante”, diz a decisão.

Data do julgamento: 16/7/2014
Publicação no diário oficial (e-dJF1): 1.º/8/2014

Fonte: Site TRF1.

portal.trf1.jus.br/portaltrf1/comunicacao-social/imprensa/noticias/militar-temporaria-deve-ser-reintegrada-pelo-exercito-ate-conclusao-de-tratamento-de-saude.htm

ENTRE EM CONTATO

T (61) 3404-3526 C (61) 99361-9414
Email: contato@advocaciamilitar.com

GB Advocacia Militar
Brasília- SRES AE - Centro Comercial Cruzeiro - Bloco D20 - Sala 422 - Cruzeiro Velho - Em frente aos Correios e a Administração Regional - CEP: 70640-543

Abrir no Google Maps

TOPO

OPÇÕES DO SITE

Cabeçalho:
Cores:
Sugestões de cores *
TEMA
* Pode não ter precisão total!